sábado, 25 de julho de 2015

O Cogumelo que Promete Emagrecer



Ganoderma lucidum é o nome científico do cogumelo lingzhi/Reishi (chinês: “erva de potência espiritual”), empregado na medicina tradicional chinesa há mais de dois mil anos. Depois de várias publicações sugerindo ação anti-diabética, um estudo que avaliou suas propriedades emagrecedoras ganhou destaque na Nature Communications do mês passado (acesso livre aqui).

Pesquisadores de Taiwan administraram extrato aquoso de G. lucidum junto com ração comum ou rica em gordura para camundongos. Observou-se diminuição no ganho de peso de animais que recebiam o extrato do fungo junto com alimentação gordurosa, de maneira dose-dependente (quanto mais extrato recebiam, menos engordavam).

O intrigante é que esses camundongos consumiam a mesma quantidade de calorias daqueles que não recebiam G. lucidum, e suas fezes não tinham maior quantidade de gordura ou de alimentos de modo geral. Não se tratava, portanto, de um inibidor de apetite, nem de um bloqueador de digestão. Na mesma publicação, os autores demonstraram menor expressão de genes responsáveis pela síntese de gordura.

Os efeitos notáveis do extrato do fungo
Além dos efeitos sobre o peso, o extrato melhorou (novamente de forma dose-dependente) os níveis de citocinas inflamatórias nos animais que recebiam muita gordura, chegando a níveis próximos dos que ingeriam ração normal. Os pesquisadores ainda observaram menor infiltração de macrófagos no fígado e no tecido adiposo dos camundongos que receberam G. lucidum junto com dieta gordurosa. Importante lembrar que a obesidade se associa a um estado crônico de inflamação discreta porém contínua, ao qual se atribui o aparecimento de uma série de doenças, do infarto ao câncer.

O extrato do fungo aumentou o nível de linfócitos T regulatórios, reduziu os de LPS (componente de células bacterianas que atinge a circulação e cujos níveis se associam com prejuízos à saúde), ácidos graxos e de glicemia, melhorando a sensibilidade à insulina. No intestino, promoveu mudanças benéficas na flora bacteriana: menos Firmicutes e Proteobacteria, mais Bacteroidetes.
O verdadeiro G. lucidum

O impacto sobre a microbiota intestinal parece ser importantíssimo. Os autores conduziram transferência de fezes e observaram redução no acúmulo de gordura no animal receptor quando o doador havia recebido G. lucidum. Para finalizar a publicação, purificaram o extrato em diferentes frações e identificaram qual era a responsável pelas ações anti-obesidade.


Trata-se de uma abordagem científica e racional buscando aproveitar o legado de observações (nem todas úteis) de milênios. Embora os resultados sejam empolgantes, a lógica também recomenda esperar estudos em humanos para observar os eventuais efeitos. Que venha mais uma alternativa para emagrecer num futuro próximo! 

Um comentário:

  1. Não conhecia esse cogumelo, mas parece promissor. Mas é como você disse, precisamos esperar mais estudos. Vale como curiosidade. Falamos sobre obesidade em nosso site e sempre estamos encontrando informações como essa mas nem todas se mostram eficazes após mais estudos.

    ResponderExcluir