domingo, 14 de agosto de 2011

Cuidado com o Excesso de Chá


Muitos pacientes me perguntam do que podem abusar na sua alimentação. Minha resposta é de que, em exagero, até água faz mal.

A edição de agosto do Journal of Clinical Endocrinology and Metabolism traz uma confirmação desta ideia. Relata-se o caso de uma americana do estado da Georgia que, durante décadas, consumiu litros de chá preto por dia, imaginando fazer um bem para a sua saúe. Ignorava, entretanto, o alto teor de flúor da bebida, cujos efeitos se manifestaram após a sobrecarga do consumo por quase toda a vida.

Em baixas concentrações, o flúor protege contra as cáries. Acima de um determinado limite, põe o indivíduo sob risco de fluorose. A fluorose é uma doença que se manifesta através de formação de osso de má qualidade, calcificações dolorosas e ossificação de tendões e ligamentos. Nos dentes, pode levar a manchas marrons características.

Esta americana desenvolveu acentuada cifose e sofreu durante mais de uma década desnecessariamente com terríveis dores articulares. Os sintomas se foram após seis meses sem consumir chá.

Este caso deve servir como mais uma evidência no combate ao popular, mas ignorante, adágio que irracionalmente repete que tudo que vem da natureza faz bem. A diferença entre o remédio e o veneno muitas vezes é apenas uma questão de dose, algo difícil de medir em chás, sementes ou folhas. Ninguém precisa abandonar seu chazinho, mas nada de excessos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário