sábado, 9 de julho de 2011

NMU: mais um para fechar o cerco contra a obesidade


Enquanto algumas "autoridades" seguem fazendo previsões absurdas, sugerindo que "daqui a x anos 90% da população será obesa", eu acredito que a obesidade está com os dias contados. Os avanços da farmacologia e da engenharia de alimentos provavelmente farão dos atuais casos meras curiosidades histórias (como o escorbuto já é hoje).

Eu vos apresento um novo alvo potencial para auxílio na perda de peso: a neuromedina U (NMU). A edição de maio do periódico Endocrinology traz um estudo sobre a administração em animais desta substância.

Artigos prévios já demonstraram que camundongos com deficiência de NMU desenvolvem obesidade, enquanto aqueles que hiperexpressam a substância são magros e hipofágicos (comem pouco). Também já se sabia que a administração da substância no sistema nervoso central reduz o apetite e aumenta o gasto calórico, levando à perda de peso.

O passo seguinte foi testar se a injeção periférica teria o mesmo efeito. Os autores demostraram redução do apetite, aumento do metabolismo (e da temperatura) e perda de peso nos animais testados. A glicemia também melhorou.

Não se trata do ovo de Colombo. O aumento de temperatura preocupa, afinal na década de 30 o dinitrofenol (DNP) surgiu como solução para aumentar o metabolismo e resolver a obesidade. O resultado, já descrito aqui no blog, foram muitas mortes por hipertermia e colapso cardiovascular.

O empolgante é ver que a ciência está cercando a obesidade em múltiplas frentes. Inúmeros mecanismos diferentes são testados e muitos tratamentos potenciais deverão chegar ao mercado nos próximos anos. Bem-vinda ao time, NMU!

Um comentário:

  1. Excelente seu blog Dr. Eduardo. Sou gastroplastizada desde fevereiro de 2010 e atualmente atingi o platô, por isso ando na luta prá enxugar mais 10 kg. A descoberta do seu site foi oportuna para me convencer que agora, mais do que nunca o gol tem que ser marcado por mim apenas.
    Parabéns!

    ResponderExcluir