terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Abuso de Álcool e Risco Cardiovascular


Em novembro foi publicado um estudo interessante no British Medical Journal, cujo objetivo era avaliar o impacto do abuso de álcool sobre o risco cardiovascular. A hipótese era de que os indivíduos que consomem álcool regularmente, em menores quantidades, ao longo da semana, teriam menor risco de infarto do que aqueles que concentram toda a bebedeira em um ou dois dias.

Os autores resolveram apelar: coletaram os dados de três cidades francesas (Toulouse, Strasburgo e Lille) e compararam com os de Belfast, na Irlanda do Norte. Até o mais desinteressado leitor é capaz de supor o óbvio: existe uma diferença significativa no tipo de bebida. Na Irlanda consomem-se mais cervejas e destilados, enquanto há maior proporção de vinho na França.

Vieses à parte (ou não), a compilação de dados de mais de 9 mil homens ao longo de 10 anos (todos entre 50 e 59 anos de idade, sem diagnóstico de doença cardíaca) revelou que a quantidade de álcool que se consome num final-de-semana em Belfast fica entre o dobro e o triplo da ingestão na França para o mesmo período.

Os pesquisadores definiram como “abuso” de álcool o consumo de 50g de etanol em 24h; isto equivale a 3 latas de cerveja, meia garrafa de vinho ou 3 doses de destilado. Os homens que abusavam do álcool tinham o dobro do risco de apresentar infarto.

Um belo de um alerta para os “tios” que adoram exagerar na cerva do churras ou desmaiar com o whisky de graça no casamento da sobrinha. Muita (mas muita mesmo) calma com esse papo de “álcool faz bem”.

Um comentário:

  1. Excelente esse post! Já li aqui em casa e foi bem útil!!!

    ResponderExcluir