sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Contrave Aprovado para Tratamento da Obesidade nos EUA


Há mais de um mês escrevi sobre o Contrave, uma combinação de duas drogas já existentes que promoveu perda de 6,6% do peso corporal em estudos preliminares de tratamento de obesidade. Esta semana o FDA - órgão que regula os medicamentos nos EUA - aprovou a medicação, que ainda passará por algumas etapas burocráticas até chegar ao mercado.

O FDA também exigiu a realização de um estudo que avaliasse a segurança cardiovascular do medicamento, mas o mesmo será realizado após o início das vendas. A ABESO publicou excelente matéria comentando a aprovação.

Agradecimentos ao Dr. André Murad Faria pela transmissão de informações just in time.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Refrigerante Comum Aumenta o Risco de Gota


Muitos consomem refrigerantes comuns receando os possíveis prejuízos que os adoçantes das versões "zero" possam provocar. Ignoram que o consumo exagerado de açúcar traz riscos muito maiores do que aqueles que tentam atribuir aos adoçantes.

Para engrossar a lista dos problemas trazidos pelo consumo de refrigerantes adoçados, foi publicado na edição de 24 de novembro do JAMA (Journal of American Medical Association) estudo que demonstra a gota como uma das consequências do uso regular destas bebidas.

Foram analisados dados de mais de 78 mil mulheres, cobrindo um período de 22 anos. A gota, uma forma comum de artrite que provoca dores, limitações e deformidades articulares, se mostrou muito mais comum nas consumidoras regulares de refrigerantes comuns.

Mulheres que consumiam duas ou mais porções por dia tinham risco 200% superior às que o faziam menos de uma vez por mês. Resultados semelhantes foram obtidos quando se analisou o consumo de suco de laranja adoçado.

Mais um argumento contra aqueles que ainda creem que refrigerantes dietéticos são piores que os convencionais.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Sete Dicas de Fertilidade e Cirurgia Bariátrica


A edição de novembro do Journal of Clinical Endocrinology and Metabolism traz as diretrizes de cirurgia bariátrica elaboradas em conjunto pelas sociedades americanas de Endocrinologia Clínica, Obesidade e Cirurgia Bariátrica e Metabólica. O documento é extenso (70 páginas) e de excepcional qualidade.

Este post traz Sete Dicas de Fertilidade e Cirurgia Bariátrica. Em 2004 nos EUA, 82% dos pacientes operados foram do sexo feminino.


1 - Nos primeiros meses após a cirurgia, há um importante aumento na fertilidade feminina. Não é incomum ver mulheres que, após mais de um ano sem menstruar (algumas com elevados níveis de testosterona), retomam ciclos regulares ou engravidam.


2 - Recomenda-se que a mulher aguarde ao menos 12 a 18 meses após a cirurgia bariátrica para engravidar. Este período inicial pode se associar com maior risco de parto prematuro e carência de micronutrientes. O ideal seria esperar estabilização do peso e adaptação à nova rotina de alimentação.


3 - Anticoncepcionais devem ser suspensos um mês antes da cirurgia; reposição hormonal deve ser suspensa 3 semanas antes da cirurgia. Estrógenos aumentam a produção de fatores de coagulação no fígado, o que pode predispor à trombose venosa, uma das mais temidas complicações após a cirurgia bariátrica.


4 - Após a cirurgia, deve-se evitar anticoncepcionas orais (pílulas), uma vez que a absorção pode ficar comprometida com as modificações cirúrgicas do intestino. A preferência é por DIU ou injetáveis.


5 - Gestações após a cirurgia bariátrica cursam com menor incidência de complicações vistas com frequência na gravidez de obesas, como pré-eclâmpsia, diabetes gestacional ou macrossomia (crescimento exagerado do feto, obrigando parto cesáreo e expondo o bebê a complicações metabólicas).


6 - A demanda nutricional na gravidez aumenta, de modo que devem ser intensificadas reposições de cálcio, ferro e proteínas. Recomenda-se ingestão de cerca de 60g de proteína por dia. O cálcio deve ser preferencialmente na forma de citrato, uma vez que o carbonato tem sua absorção prejudicada após a cirurgia bariátrica.


7 - Bebês nascidos após a cirurgia bariátrica mantêm peso menor do que os irmãos cuja gestação se deu antes de a mãe ser operada.


Para ter acesso aos Guidelines de Cirurgia Bariátrica: http://www.nature.com/oby/journal/v17/n1s/full/oby200928a.html