sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Suplementação com ômega-3 não melhora Doença de Alzheimer


A edição de anteontem do JAMA (Journal of American Medical Association) traz os resultados de um estudo multicêntrico americano que avaliou os efeitos de suplementação de ômega-3 para tratamento de doença de Alzheimer.

O ácido graxo empregado foi o DHA (docosahexaenóico), o mais abundante dos ácidos graxos insaturados no cérebro. Investigações epidemiológicas apontavam uma menor incidência de doença de Alzheimer nos indivíduos com maior consumo de DHA. Pesquisas em animais já mostraram que o consumo deste ácido graxo reduzia as lesões microscópicas típicas do Alzheimer.

A dose escolhida foi de 2g por dia durante 18 meses; participaram mais de 400 pacientes com Alzheimer leve a moderado. Quase 300 chegaram ao fim do estudo, permitindo conclusões frustrantes. Não houve diferença em testes neuropsicológicos que avaliam a gravidade da demência nem no volume cerebral aos exames de imagem.

Talvez os ácidos ômega-3 desempenhem um papel mais importante na prevenção do que no tratamento. Há quem diga que tudo não passa de correlação, uma vez que quem consome mais ômega-3 pode ter um estilo de vida mais saudável globalmente. Fica a esperança de que surjam novos tratamentos para uma doença tão importante e devastadora como o Alzheimer.


Para ler mais sobre ômega-3, clique aqui.

Um comentário:

  1. http://hubpages.com/hub/obesity-dangers - muita informação, testemunhos que podem salvar as vossas vidas!!!

    ResponderExcluir