segunda-feira, 28 de junho de 2010

Alerta aos seguidores de dietas ricas em gorduras e pobres em carboidratos


Vira e mexe as dietas ricas em gorduras e pobres em carboidratos voltam à moda, e a onda da "dieta metabólica" reacende o tema. Sempre houve uma má-vontade da comunidade científica contra essas dietas.
De início, achavam que, por ter muita gordura, não funcionaria. Vieram estudos e mostraram que conseguem reduzir o peso. Além de induzirem cetose (utilização de corpos cetônicos, derivados das reservas de gorduras, como fonte de combustível), o que acontece é que a quantidade de calorias ingeridas acaba sendo baixa, dada a monotonia da dieta. Exige-se a semi-exclusão de carboidratos.
Depois disseram que conduziria à dislipidemia. Vieram outros estudos e mostraram que além de não ser deletéria ao colesterol, reduz os triglicérides mais que a dieta balanceada.

O método, entretanto, não é uma panacéia. Nunca se mostrou superior a outras dietas em eficácia nem em adesão em estudos maiores. Não tinha nenhuma característica especial, já que os participantes acabam fazendo dieta hipocalórica também (ficam enjoados de comer apenas gorduras, de modo que o consumo diário se torna limitado).

A peça que não encaixa(va) era o contra-senso diante de estudos ancilares, da década de 60-70, que mostravam indiscutivelmente uma maior incidência de doenças e mortes cardiovasculares quando se aumentava a ingestão de gordura. Em seres humanos é difícil avaliar isto, pois estudos para avaliar dieta são caros, trabalhosos e observar uma diferença na mortalidade cardiovascular poderia levar décadas diante da elevada taxa de desistência em QUALQUER dieta.

Uma parte da resposta veio de pesquisadores que testaram dieta rica em gorduras e pobre em carboidratos em ratos predispostos à aterosclerose. O resultado foi assustador: esta dieta levou à formação de o DOBRO de placa de gordura nas artérias das cobaias, apesar de níveis semelhantes de colesterol. A pesquisa levou a novas linhas de estudo que estão identificando fatores de risco para doença cardiovascular até então desprezados ou desconhecidos, como os níveis de ácidos graxos circulantes (que aumenta nessa dieta) e a concentração de celulas progenitoras do endotélio (células que revestem internamente os vasos, que se encontram reduzidas nas dietas high fat, low carb).

Diante dos fatos, acho mais sensato para quem quer perder peso tentar dieta balanceada em macronutrientes, ou ao menos ter noção dos riscos que corre com high-fat, low-carb. Eis algumas referências de artigos publicados em revistas médicas de impacto, não em livros de auto-ajuda:


1-A look at the Low-Carbohydrate Diet - Smith SR - NEJM 361;23-25; Dec 2009

2-Vascular Effects of a Low-Carbohydrate High-Protein Diet - Foo SY et al - Proc Natl Acad Sci USA 2009 Aug

Nenhum comentário:

Postar um comentário