sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Testosterona

[Este artigo não tem como intenção fazer apologia ao uso de testosterona]

O principal hormônio sexual do homem é a testosterona. Cerca de 95% deste hormônio são produzidos nos testículos. Nas mulheres, circula em concentrações muito menores e sua produção ocorre 50% nos ovários e 50% na supra-renal (esse percentual varia com a idade e fase do ciclo menstrual). Outros hormônios de características semelhantes, mas menor importância, incluem androstenediona e DHEA.
A concentração de testosterona varia de acordo com a idade. Alta logo após o nascimento, cai para permanecer quase indetectável na infância e volta a subir a partir da puberdade. Aos 80 anos, a concentração da testosterona total cai 20%; a livre cai 60% em relação ao jovem de 20 anos.



O principal estimulador da produção de testosterona é um hormônio chamado LH, produzido na hipófise (uma glândula próxima ao cérebro cuja função é regular outras glândulas). O LH sobe quando estimulado por outro hormônio, o GnRH (liberado pelo cérebro e sob influência de muitos fatores, como alimentação ou stress). A testosterona, seja do próprio organismo ou sintética, inibe a liberação do LH.
O LH não é continuamente liberado; sua produção ocorre em pulsos, maiores pela manhã. A concentração da testosterona acompanha esses pulsos e atinge um pico às 8h. O valor mais baixo da testosterona é observado às 20h.

A maior parte da testosterona no sangue está ligada a outras substâncias. Cerca de 60% das moléculas estão ligadas à albumina e 40% ligados a uma proteína transportadora chamada SHBG. Apenas 2% do que dosamos nos ensaios laboratoriais encontram-se livres para agir sobre os órgãos.

METABOLISMO DA TESTOSTERONA
A testosterona pode ser transformada em diversas outras substâncias. Sob ação da enzima 5-alfa-redutase, é convertida em di-hidro-testosterona (DHT). O DHT é dez vezes mais potente que a testosterona.
O DHT age sobre a genitália do feto formando pênis e saco escrotal, além de ser responsável pelo crescimento e evolução da genitália do adolescente. Na próstata, o DHT induz o crescimento deste órgão e produção de esperma. Na pele, o DHT induz a produção de sebo, acne e pode provocar calvície. A finasterida, popular remédio para calvície e útil em doenças prostáticas, tem como única ação inibir a produção de DHT.




Por mais paradoxal que pareça, o organismo converte testosterona em estradiol, o principal hormônio feminino. A responsável por esta etapa é a enzima aromatase, presente no fígado e no tecido gorduroso.
A administração de testosterona pura (exemplo: durateston) ou andrógenos que podem sofrer aromatização leva, portanto, ao risco de aumentar também a concentração de estradiol. Estradiol em quantidades elevadas pode provocar proliferação das mamas (ginecomastia). Alguns indivíduos, como os obesos, podem estar sob maior risco deste efeito colateral (já que possuem mais gordura e, portanto, mais aromatase no organismo).

COMO AGEM OS HORMONIOS MASCULINOS
Testosterona, DHT ou análogos de testosterona (estanozolol, oxandrolona, nandrolona etc) agem sobre o MESMO receptor: receptor androgênico (AR).
O AR está presente em inúmeros tecidos. Nas primeiras semanas de gestação, a genitália externa de todos os bebês é feminina, e depende da ação da DHT sobre o AR para que, nos homens, formem-se saco escrotal e pênis.
Quando estimulado na adolescência, o AR induz aumento de massa muscular, ganho de força, aumento de libido, redução da gordura subcutânea, aumento de glóbulos vermelhos no sangue, queda do HDL (bom colesterol), modificação da voz, alterações psicológicas (noção espacial, agressividade) aumento do clitóris, aumento de pêlos em determinadas áreas (barbas, coxas, abdome, tórax, braços) e calvície em outras (as famosas “entradas”).
As evidencias atuais sugerem que, na indução de aumento da massa magra, a testosterona (ou derivados) não apenas estimulam o AR, mas também (talvez até mais importante) inibem a ação dos corticóides sobre o seu receptor.

QUANDO FALTA HORMONIO MASCULINO

Antes do nascimento
A falta de testosterona, a dificuldade na conversão em DHT ou mutações no AR podem provocar ginecomastia, genitália ambígua (características masculinas e femininas) ou, em grau extremo, levar a um corpo externamente feminino (com vulva normal e mamas, mas sem útero).
Antes da puberdade
A testosterona é necessária para o surgimento das características sexuais secundárias no homem. Sem testosterona (ou com níveis abaixo do normal), ficam comprometidos o surgimento de pêlos pubianos, o crescimento e modificação do pênis, aparecimento de acne e oleosidade da pele, aumento de massa muscular e mudança na voz (mais grave). O ganho de estatura não depende da testosterona; na realidade, indivíduos com GH (hormônio do crescimento) normal e deficiência de hormônios masculinos tendem a ser mais altos, com proporções eunucóides (braços e pernas compridas em relação ao tronco).

Idade adulta
A redução da testosterona no adulto provoca rarefação de pêlos (em alguns casos), redução da libido, anemia, perda de massa muscular, fraqueza, disfunção erétil. Pode levar à ginecomastia.

8 comentários:

  1. Fiz uso recentemente de um anabolizante em comprimidos o stanazolol e estou tendo uma grande queda de cabelo, já tenho tendência de queda de cabelo e a anos faço tratamento com finasterida, porém depois do ciclo meu cabelo voltou a cair isso será temporário ou a uma tendência a continuar.
    Continuo tomando finestarida.
    Obrigado

    ResponderExcluir
  2. Fiz uso recentemente de um anabolizante em comprimidos o stanazolol e estou tendo uma grande queda de cabelo, já tenho tendência de queda de cabelo e a anos faço tratamento com finasterida, porém depois do ciclo meu cabelo voltou a cair isso será temporário ou a uma tendência a continuar.
    Continuo tomando finestarida.
    Obrigado

    ResponderExcluir
  3. Alopécia (queda de cabelo) é um efeito colateral comum com esteróides anabolizantes em altas doses. FUJA DO ESTANOZOLOL, é muito hepatotóxico (provoca lesões no fígado).
    Obrigado pela visita, Vanderson!

    ResponderExcluir
  4. Tomo 1 Mg de Finasterida todos os dias para queda de cabelo, tenho 28 anos, isso pode afetar meu ganho de massa muscular, sou praticante de musculação.

    Grato

    ResponderExcluir
  5. A finasterida bloqueia parcialmente a conversão de testosterona em DHT. O DHT é mais potente que a testosterona e age sobre bulbo capilar, pele, próstata e gônadas. É importante para a diferenciação sexual na vida intra-uterina, no desenvolvimento peniano puberal e no funcionamento da próstata.
    A testosterona, entretanto, age diretamente sobre o músculo, de modo que, na concentração de 1mg, a finasterida não tem efeito apreciável sobre o ganho de massa muscular.
    Segue abaixo referência mostrando que o efeito anabólico da testosterona é preservado na inibição da 5-alfa-redutase (enzima que converte testosterona em DHT):
    http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/17488806

    ResponderExcluir
  6. bom dia finasterida pode emagrecer?? pois tomei alguns comprimidos e perde cinco quilos me deu faqueza muscular dor de cabeça depressão etc.. oq eu faço??

    ResponderExcluir
  7. para de tomar.seu caso e muito diferente.

    ResponderExcluir
  8. Tenho Pan-Hipopituitarismo, minha vida é um inferno, iniciei minha puberdade após os vinte anos porque a incompetência diagnosticarem meu problema me fez perder parte importante da minha vida que jamais vou poder recuperar, imaginem eu com 17 anos e 1,09 de altura, eu tinha o corpo e a aparência de uma criança de 10 anos, eu precisei correr contra o tempo, iniciei com altas doses de GH (Hormônio do Crescimento) e aos 20 anos comecei com as aplicações de testosterona (Durateston), nos primeiros anos uma ampola ao mês era suficiente, hoje tenho 38 anos e a aparência de um guri de 15 anos porem nos últimos dois anos tive uma perda considerável de massa muscular e passei a administrar a testosterona a cada 15 dias, e mesmo assim tenho sofrido com os sintomas da andropausa a cada 10 ou 12 dias após a aplicação quando o efeito acaba, eu ganho algum peso quando a testosterona começa a agir, porem no décimo dia em diante começo a perder liquido, urino muitas vezes, tenho a sensação de sufoco, fico irritado, cansado e sem animo pra nada, até meu sono fica descontrolado, eu não sei mais o que fazer eu tenho sofrido muito durante toda a minha vida, as vezes penso em desistir de tudo....

    ResponderExcluir